Menu
Resenhas

Carrie Soto está de volta, de Taylor Jenkins Reid

Carrie Soto está de volta
Carrie Soto está de volta

Quem também estava ansioso para conhecer mais sobre Carrie Soto está de volta, o lançamento de 2022 de Taylor Jenkins Reid? Vamos a resenha da Karina para saber mais sobre essa história com raquetes e quadras de tênis

A tenista Carrie Soto se aposentou no auge, com a tranquilidade de ter atingido um recorde imbatível: foram vinte títulos Grand Slam conquistados ao longo de sua carreira. Mas apenas cinco anos depois de seu retiro das quadras, ela assiste Nicki Chan igualar sua marca, trazendo a sensação de que seu legado está comprometido. Disposta a chegar aos seus limites, Carrie tem o apoio de seu pai, Javier, ex-tenista que a treina desde os dois anos de idade.

Ele parece ter seus próprios motivos para incentivar a filha nesta última temporada que promete desafiar ambos num jogo que exige tanto física quanto mentalmente. Em uma inesquecível história sobre segundas chances e determinação, Taylor Jenkins Reid nos cativa com uma protagonista forte como sempre e um romance emocionante como poucos.

Fonte da sinopse: Companhia das Letras

Carrie Soto está de volta é o último lançamento da Taylor Jenkins Reid, e vocês bem sabem que nesse blog tanto eu quanto a Karin somos alucinadas pela escrita da Taylor, eu só não contava que esse seria o livro que eu mais demorei pra ler da autora. Essa história me convenceu muito muito aos poucos.

O plot de Carrie Soto está de volta conta a história de uma mulher que perdeu a mãe ainda criança, que viveu boa parte da vida sendo treinada pelo pai para ser um fenômeno do tênis. Se você não sabe a diferença entre uma quadra de saibro, de grama ou uma quadra dura você vai terminar essa leitura entendendo todos os detalhes.

Depois dessa partida, uma repórter me perguntou diante das câmeras que conselho eu daria para as adversárias que estavam sofrendo quando me enfrentavam.
Eu respondi: “Sinceramente? Melhorem o nível do seu jogo”.
Essa entrevista foi exibida em todos os programas esportivos do país.
Meu pai balançava a cabeça toda vez que ouvia. “Isso foi bem desnecessário, Carolina”.
Mas foi isso o que eu fiz”, lembrei a ele. “Por que todo mundo fica tão mal quando escuta a verdade?”

Carrie já havia aparecido na história da Nina Riva em Malibu Renasce, e a participação não foi digamos da melhor maneira, mas ao contrário da maioria das pessoas eu não a odiei, foi apenas irrelevante, poderia ser a Carrie ou qualquer outra mulher naquela situação.

Vivemos em um mundo onde mulheres excepcionais precisam perder tempo esperando homens medíocres.

Podemos dividir Carrie Soto está de volta em duas partes. Durante o período em que conhecemos a infância da Carrie, o foco dela e do pai em ser sempre a melhor versão de si mesma, a história não me pegou de maneira nenhuma e inevitavelmente eu me perguntava cadê a mágica da Taylor, cadê o plot que ia me fazer amar a narração, talvez se eu tivesse tido o contato primeiro com o audiobook eu tivesse amado de primeira, essa é definitivamente uma história para ser narrada em voz alta.

O que achei de Carrie Soto está de volta

O que eu não percebi ao longo da maior parte é que Carrie é uma personagem direta e muito humana, cheia de defeitos, mas quem é livre é que pode jogar a primeira pedra? Tudo o que me irritava na personagem foi esquecido no instante que me dei conta que a cobrança vinha somente pelo fato dela ser mulher. Eu nunca fiquei tão irritada com um apelido em uma personagem, quanto fiquei lendo Carrie Soto está de volta. Chama-la de Machadinha de Guerra foi a gota d’água. A figura de uma mulher não frágil incomoda e era basicamente por isso que Carrie era exageradamente cobrada.

Por melhor que eu fosse na quadra, isso nunca bastava para a opinião pública. Não bastava eu jogar um tênis quase perfeito. Eu precisava fazer isso e também ser simpática. E meu carisma teria que parecer uma coisa natural e sem esforço.

Quando Carrie chegou ao topo, a vida de atleta cobrou o preço, uma lesão no joelho a faz se aposentar e eu fiquei no meio do livro pensando: “Oxi não pode ser só isso”, rs foi aí que veio a surpresa, uma atleta jovem ameaça  o reinado absoluto de Carrie e ela decide voltar às quadras, o hiperfoco em retomar a carreira me ganhou, a obstinação em se superar e se reafirmar me fez inclusive vibrar com cada game, cada set, cada slam disputado. Nessa retomada de carreira algumas relações são revisitadas e reconstruídas, o reencontro da Carrie com ela mesmo foi o que me ganhou.

Não poderia parecer que eu estava tentando fazer as pessoas gostarem de mim. Ninguém poderia desconfiar de que eu queria a aprovação do público. Eu via o que a imprensa escrevia sobre jogadoras como Tanya McLeod, o desprezo que mostravam por ela porque tentava parecer fofinha. E eu sentia esse mesmo desprezo.
Mas pelo amor. Isso já era pedir demais.

O hype de Carrie Soto está de volta se sustenta mas esse lançamento, não desbancou meu favorito Dayse Jones (que aliás é mencionado de leve aqui) mas foi suficiente para me fazer desejar que um dia Taylor resolva querer escrever sobre alguma escritora famosa, porque se já tivemos cantora, atriz, modelo e atleta agora também quero a história de uma autora rs. Que a leitura de vocês seja tão proveitosa quanto foi pra mim. Boa leitura!

Carrie Soto está de volta
Autor
: Taylor Jenkins Reid | Tradução: Alexandre Boide
Editora: Paralela | Páginas: 351
ISBN: 9788584392230
Para ler: https://amzn.to/3WPyjen

Avaliação: 4 de 5.


Ósculos e Amplexos, Karina.

 

Sobre o autor

Biomédica por formação, bookaholic por paixão!

Sem comentários

    Deixe seu comentário