Resenhas

Dom Quixote Volume 2, de Miguel de Cervantes | Diário de Leitura #3

22 de maio de 2020
Dom Quixote Volume 2, de Miguel de Cervantes | Diário de Leitura #3

Apesar do tempo que as publicações levaram de um volume para outro , o que tem em Dom Quixote Volume 2 é uma clara sequencia direta do volume 1. É meio impossível falar da história centenária sem dar algum spoiler, rs afinal o livro já está até em domínio publico, então vou me ater somente em passagens mais clássicas assim não corro o risco de revelar nada que já não tenha sido dito.

A passagem pela aventura dos gigantes moinhos (lá do livro um), nessa tradução que é feita com o intuito de deixar o texto mais próximo do nosso português sem aquelas palavras rebuscadas, nos dá a dimensão maior do tamanho das alucinações do Dom Quixote versus a realidade com que o Sancho sempre nos alfineta.

Dom Quixote Volume 2

Se tem uma coisa que me surpreendeu e eu não esperava nessa trama é o quanto eles dois apanham, analisando friamente sei que faz sentido em 1600 as pessoas reagirem com violência com pessoas dadas como loucas, mas as descrições dos chutes, muros  que os dois sofrem me deixaram surpresa! Sobre a amada Dulcineia a unica afirmação que eu posso fazer é que: embora “Dom quixote” não tenha sido o primeiro da literatura, com certeza podemos dar para ele a  plaquinha de iludido!

Tudo isso se mistura numa nuvem de reflexões sobre solidão, amizade com pitadas de criticas sociais, talvez o sucesso atribuído a obra seja porque uma obra que foi criada como o intuito de apenas entreter fez tanto sucesso que talvez a mensagem não fosse apenas sobre uma história para divertir.

A experiência do Dom Quixote Volume 2

Depois de me fazer rir com situações bizarras ao perder um duelo final e ser “obrigado” a voltar pra casa “Dom quixote” conseguiu até arrancar algumas lágrimas, foram mais de mil páginas e  me despedir do personagem doeu mais do que eu esperava. No fim me peguei revendo meus julgamentos , o que me parecia loucura no começo talvez fosse loucura não pensar da mesma maneira. Não querendo ser panfletária mas vivendo no momento politico que vivemos fiquei com a impressão que é mais necessário do que nunca entender a preciosidade da liberdade, liberdade para pensar, viver, fazer e ser quem bem entendermos ( desde que não avance no campo de direito dos amiguinhos).

Sem sombra de dúvidas de todos os clássicos lidos esse ano que trouxe pra cá esse é meu favorito! E tudo o que disse lá no primeiro diário é que se um dia você tentou ler e algo não fluiu troque de edição, leia textos de apoio ajuda e muito! Apesar dessa edição não ter orelhas, as letras são confortáveis e a tradução me ajudou muitíssimo ( muito obrigado Ernani Só) !

Box Dom Quixote de La Mancha
Autor
: Miguel de Cervantes | Tradução: Ernani Ssó
Editora: Penguin Companhia
Páginas: 1328 | ISBN: 9788563560551
Skoob | Goodreads
Para ler: 
https://amzn.to/3e8O6yf


Ósculos e Amplexos, Karina.

Você poderá gostar de

Nenhum comentário
comentários pelo Facebook

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.