Resenhas

A bússola de ouro, de Philip Pullman

28 de janeiro de 2020
A bússola de ouro

Em A bússola de ouro, Lyra Belacqua e seu daemon, Pantalaimon, vivem felizes e soltos entre os catedráticos da Faculdade Jordan, em Oxford. Até que rumores invadem a cidade – boatos sobre sequestradores de crianças, os Papões, que estão espalhando o medo pelo país.
Quando seu melhor amigo, Roger, desaparece, Lyra entra em uma perigosa jornada para reencontrá-lo. O que ela não desconfia é que muitas outras forças influenciam seu destino e que sua aventura a levará às terras congeladas do norte, onde feiticeiras e ursos de armadura se preparam para uma guerra.
Embora tenha a ajuda do aletiômetro – um poderoso instrumento que responde a qualquer pergunta –, nada a prepara para os mistérios e a crueldade que encontra durante a viagem. E, mesmo que ainda não saiba, Lyra tem uma profecia a cumprir, e as consequências afetarão muitos mundos além do dela.

Fonte da Sinopse: Companhia das Letras
Fan art by Stephanie Cost

Se tem uma época do ano que eu procuro ler fantasias é o fim do ano, não sei porque meus hábitos estranhos de leitora incluem associar ler fantasia ao período de férias, então essa leitura já ganha uma experiência toda diferente.

Esse livro não é exatamente um lançamento, inclusive já existe uma adaptação para o cinema lá do ano de 2007. Provavelmente eu já devo ter assistido uns pedaços do filme sem prestar muito atenção (ainda bem, pois todo mundo que eu conheço odeia a adaptação), mas entrei na leitura sem saber de quase nada. E porque estamos trazendo esse livro só agora? Bom a Suma está relançando esse livro com um novo projeto gráfico, tradução revisada (e isso já foi desculpa suficiente para finalmente entrar nesse mundo), mas também vale saber que há uma adaptação para a tv em andamento, então para podermos assistir antes da estréia esse é o momento perfeito .

Fanart disponivel no Google images

O livro “A bússola de ouro” é o livro 1 da trilogia “Fronteiras do Universo” a boa noticia é que já temos tudo lançadinho! Aqui vamos acompanhar Lyra Belacqua (que é órfã) e vive na faculdade Jordan em Oxford. A única família que a garota tem é um tio que a trata bem mal (foi meio impossível não achar coincidências demais entre essa série e Harry Potter, mas isso aqui deve ser levado apenas como um elogio).

Não sendo humano. É por isso que você nunca conseguiria enganar um urso. Enxergamos truques e mentiras como enxergamos pernas e braços. Conseguimos ver de um modo que os humanos esqueceram. Mas você sabe disso; afinal, consegue entender o leitor de símbolos – Não é a mesma coisa, é? Ela estava mais nervosa com o urso agora do que quando ele estava furioso.

As aventuras começam se desenrolar quando a Lyra está escondida numa sala e escuta uma reunião dos professores da universidade falando sobre um “Pó” que atrai os adultos, mas não as crianças. Somando isso a sumiços aleatórios de crianças pelo mundo, esse é um dos mistérios a ser desvendado que costura a história.

Mas tudo nos é contado aos poucos na narração também vamos entender através dos olhos da Lyra a construção desse mundo, ela é uma garota que tem só 13 anos. No universo de A Bússola de ouro as pessoas não são humanos como somos, pois a essência que corresponde a parte da consciência fica a parte do nosso corpo; obviamente essa parte é importantíssima na constituição de quem somos. A essência das pessoas se manifesta na forma de um animal, geralmente, e recebe o nome de deamon. Isso significa que enquanto criança o deamon pode transformar-se em diversas formas, de acordo com a personalidade ou as situações que estão impostas.

Muitos mentirosos não têm imaginação; é isso que faz com que suas mentiras sejam convincentes.

Lyra vai morar com uma mulher especifica em Londres (por um determinada situação, que não cabe um spoiler) e antes de ir, recebe do diretor um Aletiômetro que é uma coisa que serve como um medidor da verdade. É tipo uma “bússola” complicadíssima de se ler, mas que intuitivamente a garota sabe interpretar muitíssimo bem! Obviamente como qualquer garota que está no meio de uma aventura vai precisar fugir dessa mulher e faz dessa fuga uma oportunidade para ir atrás das crianças desaparecidas!

A bússola de ouro

Há séculos as feiticeiras falam sobre essa criança – disse o cônsul. – por viverem tão próximas do lugar onde o véu entre os mundos é fino, de vez em quando elas escutam sussurros imortais, as vozes dos seres que passam por um mundo a outro. E eles falaram de uma criança como esta, que tem um grande destino que não poderá ser cumprido nesse mundo, mas em um lugar muito distante. Sem esta criança, todos morreremos, é o que dizem as feiticeiras. Mas ela tem que cumprir esse destino sem saber o que está fazendo, porque somente na inocência dela nós podemos ser salvos. Está entendendo, Farder Coram?

O que me encanta na história toda de A bússola de ouro é que Lyra é uma criança que age como criança, e que apesar de ser um livro com crianças não evita a violência. Elas não são tratadas como incapazes de entender o que acontece ao redor. A cereja do bolo pra mim é a voz do autor se impondo na construção de todas as críticas inclusive as que envolvem religião (acho ousado e maravilhoso). Fica o questionamento de como nos portaríamos numa guerra entre “O conhecimento Vs A ignorância”. Sem dúvida nenhuma estou ansiosa para saber onde essas aventuras me levarão, que venham os próximos livros e a adaptação para a tv!

A Bússola de Ouro
Autor: Phillip Pullman | Tradução: Eliana Sabino
Editora: Suma
Páginas: 344 | ISBN: 13: 9788556510426
Skoob | Goodreads
Para ler: https://amzn.to/30ZCHvm

Ósculos e Amplexos, Karina.

Você poderá gostar de

Nenhum comentário
comentários pelo Facebook

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.