Menu
Resenhas

David Copperfield, de Charles Dickens

David Copperfield
David Copperfield, de Charles Dickens publicado pela Editora Zahar com tradução de Bruno Gambarotto

Vamos conversar sobre David Copperfield, de Charles Dickens que foi publicado recentemente pela coleção Clássicos Zahar.

Um dos maiores romances da literatura mundial, David Copperfield tem entre seus leitores gerações sucessivas de escritores do porte de James Joyce, Kakfa, Virginia Woolf e Tolstói, para quem é fonte de inspiração permanente. A lista inclui também o próprio Charles Dickens, que considerava o livro “seu filho favorito”. Publicada como folhetim entre 1849 e 1850, a história é um clássico relato de formação de um menino descobrindo um mundo que é, ao mesmo tempo, mágico, assustador e terrivelmente real. Dickens constrói esse universo de forma brilhante, emprestando a ele partes substanciais de sua própria biografia, mas usando como amálgama a sua inventividade incomparável como ficcionista e as tintas mais acuradas do realismo inglês do século XIX.


Assim, seguimos a vida de David, desde a sua infância pobre e difícil até a descoberta da vocação de escritor, numa jornada repleta de aventuras cômicas, sentimentais e por vezes trágicas. É impossível não se comover com o destino de David e não se deliciar com o fabuloso elenco de personagens que cruzam e acompanham seu caminho – o padrasto cruel Murdstone; o irresponsável Micawber; a frívola e encantadora Dora; e o humilde porém traiçoeiro Uriah Heep.

Fonte da Sinopse: Companhia das letras

David Copperfield é um dos calhamaços que todos deveriam tentar ler em algum momento da vida, não é à toa que esse livro é um clássico dos clássicos! Charles Dickens fez com esse livro uma coisa que vejo poucos autores fazendo , o elegeu como sua criação favorita! Estou numa saga particular de ler muito , muitos clássicos e para isso procuro edições que tenham algum tipo de texto de apoio, notas  de tradução e uma tradução confiável, então assim que a Zahar lançou essa edição , inclui essa leitura nas minhas metas!

David Copperfield, de Charles Dickens

David Copperfield pode ser classificado como um romance de formação e esse conceito cabe ser apontado aqui, porque explica muito do que vamos encontrar ao longo da narrativa. Romance de formação ou Bildungsroman (que é um termo alemão, onde surgiu ainda no romantismo esse conceito) como apontado por Bruno Gambarotto (doutor em teoria literária pela FFLCH-USP e tradutor dessa edição) é um tipo de construção/narração que expõe o personagem de uma maneira detalhada no que tange os aspectos físicos, morais e psicológicos, sociais e até político, desde a infância ou adolescência até a vida adulta.

“O professor na Pós-Graduação de Letras da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Lourival Holanda acrescenta que o romance de formação — ou de aprendizagem — é a narrativa em que o personagem testemunha a maneira como se formou ao longo do processo, subentende contato com o mundo, experiência. Difere do épico, acrescenta Holanda, porque neste caso um personagem já é “inteiro” quando se apresenta. “O romance de formação expõe fases, mudanças, tanto da sociedade quanto do indivíduo. Aqui o ser não é — está sendo”, completa.” Texto disponível em: Capa | Romance de formação.

Hoje conheço o mundo suficiente para ter perdido quase toda a capacidade de me surpreender com o que quer que seja; não obstante, ainda me causa alguma surpresa, mesmo agora, que eu tenha sido tão pura e simplesmente abandonado a minha própria sorte com tão pouca idade.

Antes de começar a pincelar a vida do David, nosso personagem principal ainda nos textos de apoio e introdução temos uma nota que nos afirma que Dickens colocou nessa história muitos fatos da própria vida, não é uma biografia, mas talvez isso já nos dê pista do porquê essa obra é o favorito dele e por enquanto o meu também.

David Copperfield, de Charles Dickens

A narração em David Copperfield é em primeira pessoa e o narrador personagem se apresenta como um garoto calmo, sensível e que consegue absorver os acontecimentos ao seu redor sem deixar de ter opiniões próprias; os capítulos são divididos como marcos que  o tornou quem ele será na última página, desde um nascimento em um parto empelicado (parto raro, onde o bebê não rompe a bolsa na qual é gerado dentro da barriga), passando por Betsey Trotwood a irmã do pai que faleceu enquanto a mãe de David estava grávida que jurava que seria além de tia, madrinha da criança (que ela tinha a mais absoluta certeza que seria uma menina) e muitas outras particularidades de como a vida constrói uma pessoa.

Temáticas em David Copperfield

Entre os papéis temáticos que costuram a obra estão a pobreza humana, a diferença de classes sociais, a importância do dinheiro nas relações humanas, pelo simples fato de que a obra reflete o período social de uma Inglaterra sob o reinado da Rainha Vitória, mas o que vai ganhar você enquanto leitor é o quanto uma história tão antiga consegue ser tão atual.

Foi assim que a perdi. E foi assim que a vi depois, em meus sonhos na escola- ela, uma presença silenciosa sentada ao lado de minha cama, olhando-me com o mesmo rosto apaixonado, segurando seu bebê nos braços.

Os infortúnios de David começaram com a morte do pai, mas sua primeira infância transcorreu em teoria de uma maneira tranquila onde em grande parte estava cercado pela mãe e pela babá (a empregada que já trabalhava com sua mãe), sua vida toma um rumo inesperado quando  a mãe se casa novamente, David ganha um irmão, e é mandado como um indesejado em casa, para Londres para trabalhar, é a partir desse momento que David decidi buscar sua única parenta viva (aquela mesma que queria que ele tivesse sido uma menina), temos então um outro ponto de virada no enredo.

David Copperfield, de Charles Dickens

Essa edição é comentada e ilustrada, as ilustrações são de autoria do Phiz. O autor não deixa de brincar com os arquétipos dos personagens ao longo da trama. Apesar de David ser o fio condutor todos sem exceção têm suas próprias tramas que em algum ponto serão crucial para a formação do próprio David.

Os encontros, reencontros e desencontros são pinceladas de medo e de felicidade pelos pequenos momentos que o David vive. É isso que nos entrega o principal ingrediente para o clássico mais contemporâneo que já li, o cotidiano, é quase como acompanhar uma grande e envolvente novela das 9!

David Copperfield
Autora: Charles Dickens
Tradução: Bruno Gambarotto
EditoraClássicos Zahar
Páginas: 871 | ISBN: 9786559790272
Para ler:

Avaliação: 5 de 5.


Ósculos e amplexos, Karina.

Sobre o autor

Biomédica por formação, bookaholic por paixão!

Sem comentários

    Deixe seu comentário