Resenhas

Tereza Batista cansada de Guerra, de Jorge Amado

18 de agosto de 2019
Tereza Batista cansada de guerra

No sertão de Sergipe, perto da fronteira com a Bahia, aos treze anos incompletos a órfã Tereza Batista é vendida pela tia a um fazendeiro pedófilo e brutal. Depois de estuprá-la, ele a mantém cativa em sua propriedade. Amadurecida precocemente, e do modo mais doloroso, a menina se tornará uma mulher valente e decidida. Tereza Batista é sem dúvida uma das mais fascinantes heroínas de Jorge Amado, talvez a mais completa e complexa, que reúne os atributos de todas as outras: a valentia de Rosa Palmeirão, a sensualidade de Gabriela, a doçura de dona Flor, a altivez de Tieta.
As peripécias dessa heroína que “tinha aversão a badernas”, que “não tolerava ver homem bater em mulher” são contadas por várias vozes. Um funcionário público, um pai-de-santo, a célebre ialorixá Mãe Senhora e até o poeta Castro Alves, retornado do mundo dos mortos, ajudam a relembrar e exaltar os feitos da protagonista. Um dos mais notáveis deles – ter comandado as meretrizes de uma cidade no combate a uma epidemia – é narrado à maneira de um romance de cordel, no capítulo “ABC da peleja entre Tereza Batista e a bexiga negra”. Em outro episódio, ela lidera uma greve de prostitutas em Salvador. Em um terceiro, nocauteia um homem num cabaré de Aracaju depois de vê-lo bater na amante.
Escrito em 1972, quando Jorge Amado tinha sessenta anos, Tereza Batista cansada de guerra atesta a maestria desenvolvida pelo escritor baiano ao longo de quatro décadas de literatura. No conjunto de seus romances, destaca-se como um dos mais vigorosos do ponto de vista político – fato ainda mais notável por ter surgido no auge da ditadura militar – e um dos mais ousados no terreno do erotismo.
Além do depoimento de Lygia Fagundes Telles, a nova edição traz uma cronologia e imagens históricas da vida de Jorge Amado e das edições anteriores do livro.

Fonte da sinopse: Companhia das letras

Eu não tenho mais duvida nenhuma , Jorge Amado é meu autor nacional favorito! Capitães da Areia sempre teve um lugar especial no meu coração e momentos memoráveis na minha adolescência, e arrisco a dizer que a leitura de “Tereza Batista cansada de guerra” vai ficar comigo por muito tempo! Eu não lembro exatamente dos livros do Jorge Amado estarem na relação de livros que eu deveria ter lido no ensino médio, mas eu espero que todo mundo possa encontra-lo o quanto antes nas listas de indicação.

Tereza orfã de pai e mãe desde menina foi vendida pela tia Felipa para o capitão Justo  e esse é apenas uma dos percalços que ela está fadada a enfrentar durante a vida. Imprevisível e dona de uma personalidade inquietante Tereza desafia a dor de ser tratada como uma “zé ninguém”  que não tem poder sobre o rumo que a própria vida vai tomar, aprende usar a sedução como uma arma de defesa.

Sozinho tinha posto fim ao bafafá, rindo e falando alto, dirigindo-se a presentes e ausentes, pessoas e encantados; emérito no jogo da capoeira. Quando o tipo da polícia sacou do revólver, ameaçando atirar, nessa hora Flori desligou a luz e a responsabilidade fez-se coletiva e assim inexistente; quem pode dar testemunho do sucedido no escuro? O caboclo então lhe tomou a arma num passe de mágica e, se o secreta não houvesse espatifado a focinheira no chão, até se poderia dizer, não passando por mentiroso, tê-lo feito sem uso de pernas e mãos, na pura delicadeza.

A narração é feita resgatando conversas de lembranças de pessoas que conviveram com a Tereza ao longo dos anos, e a pergunta que faz é quantas Terezas existem fora do mundo da ficção? A divisão é feita em cinco cordéis o que reforça a ideia de narração de oralidade, cada cordel conta uma época da vida da Tereza mas eles não estão em ordem cronológica, apesar de conversarem entre si quando analisamos o todo.

Jorge Amado narra uma realidade cheia de miséria , hostil com uma maestria que eu nunca li igual , é como se eu estivesse vendo as cenas se desenrolarem na minha frente. E tem espaço para tudo de passagem pela policia, bordel até um convento ; é impossível ficar indiferente a realidade tratada no romance a cultura afrobrasileira, baiana, nordestina está presente tanto nas passagens de sofrimento quanto nas celebrações, ler um livro assim é mais que um momento de entretenimento é uma aula de história recheada de criticas sociais.

Tereza Batista cansada de guerra
Autora: Jorge Amado | Editora: Companhia das Letras
Páginas:  472 | ISBN: 9788535912913
Skoob | Goodreads
Para lerhttps://amzn.to/2HdjygC


Ósculos e Amplexos, Karina.

Você poderá gostar de

1 comentário
comentários pelo Facebook

  • Responder Camila Faria 22 de agosto de 2019 às 15:05

    Oi Karina, gostei muito da indicação. Não é um dos livros mais conhecidos do Jorge Amado, talvez por isso eu tenha ouvido falar pouco dele. Mas fiquei super interessada na leitura. Me parece ter uma narrativa forte e uma heroína mais forte ainda. Quero ler!

  • Deixe um comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.