Resenhas

Livro Ressurreição, de Machado de Assis

10 de agosto de 2020
Livro Ressurreição, escrito por Machado de Assis e publicado pela Editora FTD.

Vamos a primeira leitura do Projeto Lendo Machado de Assis com a resenha do livro Ressurreição, primeira obra de romance do autor publicada em 1872.

Ressurreição é o primeiro romance escrito por Machado de Assis publicado em 1872. Os críticos e estudiosos do autor, consideram essa obra pertencente a Fase Romântica do autor. Lembrando que quando falamos que algo é romântico, quer dizer que ele pertence ao período do Romantismo.

Ressurreição vai contar a história do Doutor Feliz, um bon vivant que mantém relacionamentos sem muito compromisso e duram em média apenas 6 meses, Mas tudo isso muda quando seu amigo Viana lhe apresenta sua irmã Lívia, viúva há 2 anos. Após alguns encontros e danças em festas, ambos se apaixonam.

O casal decide manter o relacionamento de forma discreta, mas essa decisão acaba gerando diversos conflitos no casal. Ciúmes, insegurança e desconfiança são alguns dos sentimentos que permeiam a relação dos protagonistas. É um relacionamento de idas e vindas que ao longo do tempo, e da história, só desgasta o casal.

Não vou me prolongar mais nesse resumo se não vou acabar dando um mega spoiler aqui para vocês e essa não é a intenção.

Como a leitura do livro Ressurreição

Tem muito anos que não leio Machado de Assis e sei que muita gente não aprecia a leitura das obras do autor. Ao ler o livro Ressurreição me lembrei de algumas possíveis razões que podem fazer a galera não curti tanto o autor:

  • Vocabulário difícil – o autor faz uso de palavras um tanto difíceis como pusilânime, tílburi e outras mais. São expressões que ao longo do tempo caíram em desuso por diversos fatores e hoje ninguém sabe o que realmente significam. Tílburi por exemplo, é algo que eu não sabia porque é um tipo de transporte (tipo uma charrete) que hoje não existe mais. Machado de Assis era um erudito e as palavras que ele utilizava eram mais comuns na época de sua escrita. Eu consigo me virar bem com as palavras que desconheço, tento entender dentro do contexto ou simplesmente ignoro se ela não fizer diferença. Ou apenas pego o celular e vou checar o significado.
  • Mitologia – Machado traz muitas referências da mitologia, o que talvez fosse a “cultura pop” da época. Ele comprar situações e atitudes dos personagens com histórias e mitos presentes na mitologia. Isso pode trazer confusão caso o leitor não conheça muito sobre a temática e fica meio perdido sem saber direito o que significa determinado ponto. Se a leitura for de um livro que possui muitas notas de rodapé, ajuda bastante. Mas se a edição não possui esse notas ou textos de apoio, pode atrapalhar um pouco o entendimento da história.
  • Construções frasais invertidas: no livro Ressurreição encontrei muitas frases com as orações invertidas. Esse detalhe atrapalha um pouco o entendimento dos trechos lidos e se o leitor for iniciante, talvez tenha que ler novamente para poder captar o que está escrito ali naquele trecho. Confunde um pouco mais ao longo do tempo, você vai se acostumando.

Na história temos um narrador-observador (terceira pessoa) que nos traz com detalhes o que se passa naquela história. Com isso a gente percebe como se dão as relações sociais, afetivas e de amizade, a maneira como os personagens se portam e sentem. Ele é um grande observador da sociedade carioca do período e nos dá esse retrato bem interessante.

Tudo acontece muito rápido na história. Os personagens se envolvem e se apaixonam em questão de dias. Algo comum nas histórias da época. Apesar do ar de romance, a história não é melosa. Machado está mais preocupado com os personagens, em mostrar suas características, mostrar o psicológico deles. Com isso, conseguimos notar ao ler o livro Ressurreição, que o problema todo desse casal é falta de comunicação. As coisas nunca são ditas com clareza, eles rodeiam nas conversas e muita coisa não é contada um para o outro. O que dá margem a diversas interpretações para ambos os lados sobre o que cada um está sentindo em relação ao outro.

Livro Ressurreição, escrito por Machado de Assis e publicado pela Editora FTD.

Uma coisa que me incomodou um pouco no livro Ressurreição foi o tom que autor tem e relação com as mulheres. Ele está sempre falando que as mulheres usam de certas artimanhas, que elas usam a sensualidade para manipular e trair entre outras coisas. Sei que é algo complicado, mas eu tive essa percepção. É como se sempre houvesse uma guerra dos sexos entre os casais para mostrar quem irá ganhar. Um aura competitiva é sempre vista nas relações entre eles.

As idas e vindas do casal começaram a atrapalhar a leitura e a baixar o meu interessa pela trama. Não vou entrar em detalhes, porque posso soltar um spoiler sem querer. Mas chegou uma hora que estava bem cansativo o namora-não-namora entre Felix e Lívia.

No geral, achei o livro OK, sem muitas grandes surpresas, mas já vendo um escritor Machado de Assis sendo construído ali. Você consegue sentir uma certa crueza na escrita, um estilo sendo desenvolvido. É uma leitura boa e interessante, que vai criando grandes expectativas para as outras histórias mais famosas do autor.

Falei um pouco mais sobre a minha experiência de leitura no Canal Prateleira de Cima.

Animados para começar a ler Machado de Assis? Já leram o livro Ressurreição? Me conta nos comentários se vocês se empolgaram para ler ou o que acharam do livro.

Livro Ressurreição
Autor: Machado de Assis
Editora: FTD
Páginas: 168 | ISBN: 9788532249616
Skoob | Goodreads
Para ler: Domínio Público / Amazon

Avaliação: 4 de 5.


Mil beijos e até mais!

Você poderá gostar de

Nenhum comentário

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile