Mitologia Nórdica, do Neil Gaiman

22 de fevereiro de 2019

Quem, além de Neil Gaiman, poderia se tornar cúmplice dos deuses e usar de sua habilidade com as palavras para recontar as histórias dos mitos nórdicos? Fãs e leitores sabem que a mitologia nórdica sempre teve grande influência na obra do autor. Depois de servirem de inspiração para clássicos como Deuses americanos e Sandman, Gaiman agora investiga o universo dos mitos nórdicos. Em Mitologia nórdica, ele vai até a fonte dos mitos para criar sua própria versão, com o inconfundível estilo sagaz e inteligente que permeia toda a sua obra. Fascinado por essa mitologia desde a infância, o autor compôs uma coletânea de quinze contos que começa com a narração da origem do mundo e mostra a relação conturbada entre deuses, gigantes e anões, indo até o Ragnarök, o assustador cenário do apocalipse que vai levar ao fim no mundo. Às vezes intensos e sombrios, outras vezes divertidos e heroicos, os contos retratam tempos longínquos em que os feitos dos deuses eram contados ao redor da fogueira em noites frias e estreladas. Mitologia nórdica é o livro perfeito para quem quer descobrir mais sobre a mitologia escandinava e também para aqueles que desejam desvelar novas facetas dessas histórias.

Fonte da sinopse: Intrinseca

Se você nunca leu Neil Gaiman e curte mitologia nórdica essa é uma ótima opção para primeiro contato, esse é um livro de contos que reúne ao todo 15 contos que vão desde a criação do mundo segunda a mitologia nórdica até o crepúsculo dos Deuses, conhecido como Ragnarok.

Além de contar com uma introdução do próprio Neil Gaiman contando sobre a criação do livro e o processo de pesquisa, tem uma pequena introdução aos personagens centrais dos contos que são: Loki, Odin e Thor, e até mesmo um glossário no final que ajuda quem não está muito familiarizado com os termos nórdicos.

Leia as histórias deste livro, depois se aproprie delas e, em uma noite gelada de inverno- ou em uma noite de verão-, conte a seus amigos o que aconteceu quando o martelo do Thor foi roubado, ou como Odin obteve o hidromel da poesia para os Deuses.

É quase num tom de bate-papo que Gaiman vai nos contanto que Loki é na verdade irmão de Odin, nos conta sobre um pacto de sangue doido que eles fizeram, e diferente do que todo mundo acha Loki não foi adotado por Odin como conhecemos lá nos quadrinhos do Stan Lee. O Thor do Gaiman é ruivo e um tanto “burro”.

Mitologia nórdica é a minha favorita, então por esse motivo já sou meio que suspeita para falar sobre qual conto gostei mais, mas além de conhecer as histórias que eram apenas contadas através do boca a boca, o texto nos entrega links de curiosidades muitos legais, por exemplo, os nomes dos Deuses deram origem as palavras em inglês que designam os dias da semana, a Tuesday (terça- feira) é Tyr, Wednesday (quarta- feira) é Odin, Thusrday (quinta-feira) é o Thor e Friday (sexta -feira) é a Frigga.

O olho de Odin permaneceu no poço de Mímir, preservado pelas águas que alimentam as cinzas do mundo, vendo nada e observando tudo.

O conto que eu mais gostei foi sobre como Thor ganhou o Mjolnir (martelo), que apesar de tudo ter começado com mais uma das maldades do Loki, as aventuras descritas são bem épicas e a narrativa rapidanos faz quase visualizar a historia contada onde os deuses ganharam presentes incríveis, sente inveja um do outro, trapaceam e no fim, como sempre, meio que tudo se encaixou.

O conto que mais me “irritou” foi o conto sobre os filhos de Loki, mas, dessa vez, por incrível que pareça a culpa não foi do Loki e sim da maldade dos deuses para com o Lobo Fenrir,; ao longos dos anos o cristianismo protocolou que há apenas um Deus e que em suma ele é bom, mas em crençs mais antigas além de haver vários Deuses, esses Deuses tinham caracteristicas humanas bem acentuadas e a maldade não ficava de fora.

Veja bem… Se as pessoas refletissem mais sobre a exatidão de suas palavras, não ousariam enfrentar Loki, o mais sábio, o mais esperto, o mais trapaceiro, mais inteligente, mais bonito…

O conto em que mais me diverti foi o do Hidromel da Poesia, essa é uma referência que certamente vou levar para o meu dia-a-dia, mas não quero falar muito sobre para que ue não tire de vocês todas as risadas que certamente esse conto reserva, só acreditem em mim e não deixem de ler.

Mas sempre que você ouvir poetas ruins declamando sua péssima poesia, cheio de sorrisos tolos e rimas feias, vai saber que hidromel eles provaram.

O livro  começa mais devagar, mas acredito que essa escolha seja  para nos dar uma base de quem é quem e como as coisas estão divididas nos 9 mundos, com certeza esse é um livro que vou querer reler de tempos em tempos; ele pode ser lido esporadicamente ou tudo de uma vez (como eu que sou uma pessoa curiosa e apaixonada pela escrita do Gaiman, li tudo de uma vez).

A edição tá linda, tem capa dura e um toque soft touch, mas seria destaque na minha estante se tivesse uma árvore genealógica ilustrada (fica a dica Editora Intrínseca). A verdade é que a mitologia nórdica ainda pode ser muito explorada, esse livro é praticamente um aperitivo, só nos resta esperar a inspiração bater novamente no Neil Gaiman, rs. E aí, qual a mitologia que vocês mais gostam?

Mitologia Nórdica
Autor
: Neil Gaiman  | Editora: Intrinseca
Páginas: 288 | ISBN: 9788551001288
Skoob | Goodreads
Para ler:  https://amzn.to/2X6KTI0

Ósculos e Amplexos, Karina.

You Might Also Like

1 comentário no blog
comentários pelo Facebook

  • Reply Laila Santos 22 de fevereiro de 2019 at 08:32

    Gosto muito do Neil Gaiman e este livro foi uma surpresa, esperava uma leitura densa mas acabou sendo leve e muito tranquila para entender um pouco sobre a mitologia nórdica.
    Beijão

  • Deixe seu comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.