A história de Malikah, de Marina Carvalho

12 de dezembro de 2018

A história de Malikah

Malikah foi escravizada e trazida da África ao Brasil ainda criança. Aqui, ela sofreu as mais diversas formas de violência, especialmente depois de ter engravidado de Henrique, o filho de seu patrão. Apesar da gravidez ser fruto de uma relação de amor, ela foi castigada e teve que fugir até encontrar abrigo em uma fazenda onde os negros já podiam viver em liberdade. Nessa nova terra, Malikah pode morar em paz com seu filho mas, apesar de sua relutância, Henrique continua por perto, arrependido por não tê-la protegido e tentando se aproximar da criança. Mesmo ainda sentindo algo por ele, como ela conseguirá perdoar alguém que representa tantos anos de injustiça e sofrimento?
Fonte da sinopse GloboAlt

“A história de Malikah” traz na capa a informação de ser o livro 2 do  “O amor nos tempos do ouro” fazendo ilusão ao primeiro livro lançado pela Marina Carvalho também pela GloboAlt, mas essa história não trata de uma sequência e sim de um spin off .

Claro e escuro. Branco e preto. Certo e errado. Henrique e Malikah.

Esse é livro é um romance histórico de um período que quase nunca vejo retratado em livros nacionais. Isso já ganha infinitos números na minha experiência de leitura, afinal de contas temos fatos riquíssimos e uma história do Brasil inteira a ser desbravada, com uma introdução logo no começo a autora numa espécie de carta ao leitor, nos conta do processo de pesquisa e ainda nos convida a conhecer mais da história do nosso próprio país.

O plot central desse livro é a história de amor de Malikah (uma escrava trazida da África ainda na infância) e Henrique filho de um fazendeiro Cruel; já é de se imaginar que a vida de Malikah foi permeada pela crueldade humana, se você leu “O amor nos tempos do ouro” você sabe do amor que Malikah tem pelo filho e caso você não tenha lido é em “A história de Malikah” que vamos acompanhar as reviravoltas até que ela seja uma ex-escrava.

Vivemos em um mundo injusto e cruel, querida, onde seres humanos subjugam seus semelhantes sem remorso.

Euclides dono da Fazenda Real e pai de Henrique jamais aceitaria a afronta de ser avô de uma criança que tem uma mãe escrava, logo que descobre a gravidez manda matar Malikah. Sabemos logo no início que, com ajuda de amigos, ela consegue fugir. A grande decepção está quando Henrique deixa Malikah entregue à própria sorte.

A narração está dividida entre capítulos do passado e do presente. Depois de romper com o pai Henrique precisa descobrir uma maneira de se redimir, enquanto Malikah talvez descubra que mesmo não sendo nada fácil o caminho do perdão é mais necessário do que ela imaginava.

Se recuperar o amor e a confiança de Malikah era uma missão impossível, ninguém o impediria de lutar pelo direito de exercer seu papel de pai.

A história de Malikah

Apesar de se tratar de uma obra ficcional não há como não sentir o coração apertado desde a primeira página até a última; acredito que o maior poder dos livros é nos ensinar empatia e a missão é completamente alcançada com essa história.

A maioria dos brancos é doutrinada desde cedo a acreditar que pessoas de outras raças são inferiores. Na hierarquia dessa gente, alguns animais têm mais valor do que o homem, especialmente se este for negro, ou gentio, ou pobre.

Nada nesse desenvolvimento é forçado e mesmo que muitas passagens nos deixem revoltados enquanto leitor  temos que lembrar que isso foi realidade no Brasil de 130 anos atrás; todas as mazelas que a protagonista viveu desde ver a mãe ser morta por chicotadas no tronco, até ter a própria vida ameaçada por carregar um filho de um outro alguém que se julgava superior, foi a verdade de muitos em um Brasil do passado, o que torna a narrativa coerente e fluida o tempo todo. A maneira como nasce o amor entre Malikah e Henrique é também natural. As atitudes do Henrique apesar de injustificável é muito bem fundamentada nos padrões de comportamento da época e acompanhar o crescimento do personagens é lindo.

A esperança é o pilar do mundo.

Marina Carvalho com muita pesquisa e talento nos traz uma história riquíssima, que mesmo com acontecimentos tão duros e tristes nos entrega uma narrativa leve, com momentos de diversão e amor. O pequeno Hassan é quem entra pronto para nos arrancar risadas. Todas as crianças retratadas são de uma doçura incrível, mas falar sobre elas já é dar muito spoiler.

Se devolvesse minha alma a Henrique e ele voltasse a pisar nela, jamais me recuperaria novamente.

A edição segue o padrão de cuidado do primeiro livro, nas aberturas de capítulos há trechos de poemas que são um espetáculo à parte. Se tem uma coisa que eu recomento é: aproveite o fim do ano e leia os dois livros, de preferência na ordem de publicação. 

A boa notícia é que existe a possibilidade de conhecemos mais alguns personagens num próximo livro e, independente de quem seja, uma certeza eu tenho: já estou ansiosa pelo lançamento.


A história de Malikah  

Autora
: Marina Carvalho | Editora: GloboAlt
Páginas:  336 ISBN: 13: 9788525063366
Skoob | Goodreads
Para ler:  Amazon

Ósculos e Amplexos, Karina.

You Might Also Like

1 comentário no blog
comentários pelo Facebook

  • Reply Iasmin Guimarães 17 de dezembro de 2018 at 12:30

    Nunca havia ouvido falar desse livro, mas achei a história bem interessante e diferente do que vemos por aí, vou dar uma chance.

  • Deixe seu comentário

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.